27.1.06

Um breve retorno à letra A:


Reflexos


Olho-te pelo reflexo

Do vidro
E o coração da noite

E o meu desejo de ti
São lágrimas por dentro,
Tão doídas e fundas
Que se não fosse:

o tempo de viver;
e a gente em social desencontrado;
e se tivesse a força;
e a janela ao meu lado
fosse alta e oportuna,

invadia de amor o teu reflexo
e em estilhaços de vidro
mergulhava em ti.


Ana Luísa Amaral

Comentários:2

Anonymous T. said...

Parece que hoje posso escrever aqui :-))

Sabe como gosto de Ana Luísa Amaral, não sabe? Bom, relê-la aqui, no seu espaço.

Beijão meu.

8:50 PM  
Blogger Celso said...

Primeira leitura minha desta poeta. Gostei deveras.

Um beijo

11:22 AM  

Postar um comentário

<< Home