1.8.04

Alberto da Cunha Melo


Confluências

Não te amo contra Maria,
contra Tereza;
contra Luzia;
eu te amo amando
todas as Marias
todas as Terezas
todas as Luzias
que moram em ti;
eu te amo
a favor de todas
que não amei
como a ti;
eu te amo amando
as duzentas Marias,
as trezentas Terezas,
as quatrocentas Luzias
que moram em ti.


Comentários:2

Anonymous Anônimo said...

Oi Márcia, gostei muito desse novo espaço. As suas escolhas e a forma como você as intercala com seus textos, criaram um estilo muito bonito ao blog. O alfabeto precisa ser mais divulgado, tem muita coisa boa aqui.

Beijos,
Marcia http://www.lendoesonhando.blogger.com.br

1:57 PM  
Blogger Maria Branco said...

Sublime este poema, obrigada pela oportunidade de o conhecer. É assim que o amor deveria ser vivido, resumido no outro. Obrigada pela visita, voltarei a este teu belo canto!!

7:39 AM  

Postar um comentário

<< Home